sábado, 27 de fevereiro de 2016

Está querendo investir um dinheiro e não sabe aonde? Investir no vinho é mais rentável do que investir na bolsa de valores!




Boa noite meus amigos, hoje vamos falar de uma notícia muito interessante! 
Em uma análise recente há pedido de Ornellaia feita pela Mediobanca,  se constatou que investir no setor vinícolo é mais rentável de 160%  do que o setor financeiro, foram envolvidos também Censis e Liv-ex. A divulgação aconteceu a Sotheby's, em ocasião da oitava edição do projeto " Ornellaia Vendemmia d'artista".
O modo de investimento é comprando etiquetas de valor do mundo do vinho, ou comprando ações de vinícolas cotadas na bolsa de valores.
Segundo os resultados obtidos pela Mediobanca, 1 euro investido em 2001 cresceu  5,4 euros até o início de 2016. O mesmo valor investido na bolsa de valores mundial chegou ao valor de 1,6 euros,  uma diferença notável de retorno financeiro. Mas sobre tudo o mesmo valor de 1 euro investido no fim de 2008 em ações do setor vinícolo cresceu até 3,4 euros contra 2_2,5 euros frutados nas bolsas mundiais.
Então meu amigo se você está pensando em investir um capital,  pense na possibilidade de se tornar um investidor, invista na nossa paixão: O vinho!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Radici del Sud, Grande evento sobre os vinhos do Sul da Itália!

Bom dia meus amigos,  como vocês estão? 
Para quem gosta dos vinhos do Sul da Itália,  no mês de junho na cidade de Bari na região da Puglia, capital importante do Sul, acontecerá o Radici del Sud,  evento onde será apresentados vinhos feitos só com uvas autóctones dessa região e elegeram os melhores.  Será entre os dias 7-13 de junho,  se você pretende vir a Itália nesse período é um evento para quem trabalha no ramo e para eno apaixonados muito interessante! Alguns vinhos autóctones da Puglia que você pode experimentar sem que viajar tão longe para conhecê-los são : primitivo di Manduria,  negro amaro,  nero di troia,  esses são alguns que degustei e posso dizer que são muito bons e que vocês vão encontrar aí no Brasil. Até mais amigos!

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Wine Spectator divulga lista dos 100 melhores vinhos da Itália!

E aí wine lovers,  tudo bem?  Hoje estou postando a lista que a Wine Spectator lança todos os anos publicando os 100 melhores vinhos da Itália,  veja abaixo quais foram as melhores cantinas segundo a Spectator.
Alguns nomes que esperavamos e outas novidades inusitadas. Mas é isso meus amigos, agora è sò provar esses vinhos e saber o porque essas vinocolas foram eleitas as melhores de 2015- Salute.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Saiba como se fazem os Espumantes






Olá meus queridos amigos,  hoje vocês vão saber como se faz esse vinho tão especial e adorado pelo mundo todo, o Espumante!
Antes de tudo quero esclarecer uma  coisa,  vi algumas pessoas falando incorretamente nas mídias sociais que existem 3 métodos para fazer o Espumante,  o método Shampenoise ou Método Clássico,  Método Charmat ou Martinotti e por último o Asti espumante. Na realidade o Asti espumante é feito seja pelo Método Clássico que o Charmat,  a única coisa que muda é a temperatura do mosto que usam uma temperatura mais baixa para controlar a concentração de açúcar e o álcool.
Bem, esclarecido esse argumento falado erroneamente por alguns que se dizem profissionais do vinho,  mas passam informações erradas e fazendo com que pessoas sejam formadas de maneira incorreta no mundo da degustação desse néctar precioso,  vamos ao que interessa.
Para iniciar vamos começar falando do primeiro método de espumantização, o Champenoise ,  nasceu na França assim como os Espumantes de qualidade que conhecemos hoje. Pra ser mais exato foi na região de Champagne no final de 1600.
A lenda nos conta que o Espumante foi invenção do monge Dom Pierre Pérignon, tesoureiro da abadia beneditina de Hautvillers. Mas a realidade histórica não concorda com essa lenda. No De salubri potu dissertatio do século XIV,  obra de um outro beneditino,  Don Francisco Scacchi di Fabriano já se falava de espumante e espumantização.
As uvas das quais se obtêm os melhores resultados para esse vinho são a Pinot Noir e a Chardonnay, e só na zona de Champagne a Pinot meunier.
Vamos direto ao ponto do processo Champenoise/ Método Clássico;
Se inicia com o   mosto que é imediatamente esfriado e passado para cubas de aço inox onde acontece a primeira decantação por gravidade que elimina as partes sólidas maiores.
Se estabiliza com um pouco de dióxido de enxofre para controlar a oxidação e a carga de leveduras. Depois passa para uma segunda cuba de aço, onde preparam uma base de leveduras, chamada pied cuve, para iniciar corretamente a primeira fermentação alcoólica,  que vai ser o vinho base.
Depois dos vinhos base obtidos de vários mostos se inicia o assemblage, ou seja a união dos  mostos de várias colheitas que ficam em uma parte da Cantina para o uso nos anos sucessivos. Ou podem usarem também um único mosto de um ano que tenha sido muito bom para uva, fazendo assim os Espumantes conhecidos como millésime, que é quando tem no mínimo 85% de um vinho de uma única colheita.
O passo sucessesivo é o liqueur de tirage, que é um pouco de vinho misturado com açúcar de cana, que no geral em 24g/l. Depois vem a etapa onde se coloca na garrafa, que deve ser de cor escura para proteger o vinho da luz. E depois colocam uma tampa coroa de aço que evita de pegar ferrugem, e depois da tampa colocam na mesma  la bidule onde se concentraram as partes sólidas quando termina o remuage.
Successivamente a garrafa será colocada em horizontal com temperatura controlada constante entre 10-12 graus, em local silencioso sem vibrações. No giro de 6 meses as leveduras transformam todo o açúcar disponível e se auto destroem  dando tudo de volta ao espumante aquilo que tinham pegado e será muito vantagioso para o produto final. Finalmente chegou a hora do envelhecimento nas leveduras,  que vai dos 18 meses para os espumantes de vários vinhos base e 24 meses para o millésime. Mas muitos produtores procurando a qualidade deixam até 7-8 anos para os grandes champagnes das Manson mais famosas. Durante o envelhecimento as garrafas vem giradas por equipamento chamado bouteillers sur lattes.
Quando se chega no momento justo vem feito o remuage, se colocam as garrafas no pupitre, um cavalete de lenha onde lentamente as garrafas vão sendo giradas até chegarem  na posição vertical, levando as partes sólidas das leveduras a se soltarem e assim pronta para o degorment ou abertura. E finalmente vem a adição do liqueur di d'expédition que é um segredo de todas as vinícolas francêsas. Depois vem colocada a tampa em forma de cogumelo e o nosso espumante é pronto.
Agora vamos falar do método Charmat ou Martinotti,  que acelera todos os processos falados anteriorermente, depois da formação dos vinhos base o enólogo prova os vinhos e decide como vai ser as misturas. Depois se passa por uma clarificação e refrigeração para estabilizar o Espumante. Depois vêm a filtração final e é pronto para a presa de espuma. Para fazer a segunda fermentação,  que não ocorre na garrafa como no champagne, na Cuba de aço inox será preparado o pied de cuve,  ou seja as leveduras selecionadas, com a dose de açúcar e sais minerais para acelerar o processo. Isso acontece muito rápido,  pode ser 30 ou 80 dias dependo da qualidade que se quer chegar com o produto final. É isso aí,  espero que tenha sido interessante saber mais sobre como se faz os Espumantes,  existia um terceiro método chamado Marone/Cinzano, mas como não pegou e não se usa decide não falar.  Se alguém quiser se aprofundar no assunto é só entrar em contato,   um abraço a todos
.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Lini910: Tradição e estilo em um produto de qualidade!

Olá galera, depois de tanto tempo sem postar nada,  voltei com tudo, hoje vou falar de uma Cantina Centenária aqui da província de Reggio Emilia,  pra ser mais exato na minha cidade,  região conhecida pelo Lambrusco.
Bem pra começar vamos entender um pouco da história dessa cantina,  fundada no ano de 1910 pela família lini de Correggio, cidade onde fica a cantina, são mais de 100 anos de história que acompanharam a mudança do mundo do vinho,  e em especial do Lambrusco,  antes visto como um vinho sem grande expressão e de pouca qualidade. Foi Fabio Lini atual enologo que com sua paixão e dedicação em mostrar a que o Lambrusco não era só uma uva simples incapaz de fazer bons vinhos, entendendo o território e a história do lugar se dedicou ao máximo  com Massimo seu irmão para exprimir o potencial da variedade de Lambrusco do tipo  Salamino.
Hoje a conduzir a vinícola ainda é a familia lini com Anita,  Irmã de Fábio e Massimo , em vez Alicia, Alberto, Alessio representam a quarta geração que foram capazes de levar ao mundo o território e a paixão pelo espumante da família.
  Os vinhos feitos pela vinícola Lini são Lambrusco elaborado seja com Método Charmat ou Martinote, que com  o método clássico com a segunda fermentação em garrafa.
  Mas para a alegria dos que gostam de vinho, o outro ponto forte da vinícola e o espumante feito com pinot noir.  Um espumante branco 100%pinot noir e também pinot noir pas dosè. Encontrei muito agradável o Moscato ( Método Charmat) : vinho delicado e elegante para harmonizar com doces em modo especial doces secos; assim como o Método Clássico Rosè Milessimato.   Sem falar que a Wine Spectator colou o vinho Lini910 entre os 100 melhores vinhos da Italia no ano de 2015.Sensacional também o vinagre balsâmico feito para temperar sua salada ou que você achar melhor,  feito sempre na propriedade da família, onde eles tem 1,000 barris desse maravilhoso néctar. 
Provei os produtos da vinícola e posso dizer que são muitos  válidos
Um abraço e nos vemos no próximo artigo. 


 Para quem quer conhecer melhor os produtos da dessa vinícola coloco abaixo site a disposição :