sábado, 12 de março de 2016

Monfort tradição e inovação em uma taça de vinho !

Olá wine lovers,  como vão as coisas?
Gostaria de partilhar com vocês hoje uma linda experiência,  passeando pela província de Trento no norte da Itália conheci uma vinícola que me surpreendeu no senso positivo! Fui muito bem recebido pela Chiara filha do proprietario da vinicola e a quarta geração oque leva a vinicola e seus vinhos para o mundo, com muita disponiblidade me explicou a história da cantina e como sao feitos os vinhos.
Pra ser mais exato a cidadizinha onde se encontra a cantina se chama Lavis,  e o nome da mesma é Monfort.
À história dessa vinícola começa no ano 1945, com a Família Simoni em Palù di Giovo,  valle di Cembra. No início de 1951  a vinícola se transferiu a Lavis por questão de espaço,  depois de alguns anos se transferiram na atual sede e adquiram as Cantine de palazzo Monfort,   dando um salto de qualidade com investimentos nos equipamentos de vinificação.
Hoje a cantina tem uma grande gama de produtos,  dos espumantes método clássico de altíssima qualidade,  e vinhos brancos e tintos que são de igual excelência. Um dos pontos fortes da vinícola são as uvas autóctones como teroltego,  lagrein,  Valderbara,  Veltliner e vernaz. 
Juntos com as Cantine Monfort estão os proprietários de pequenos pedaços de terra e agricultores.
A vinícola Monfort usa uvas de diversos terroirs de propriedade da mesma,  avendo assim uvas de qualidade de solos diferentes que juntas criam seus maravilhos vinhos,  os quais vou falar agora.
Degustei os espumantes e tive uma grande satisfação, comecei com o Blanc de ser brut nature,  um método clássico feito com Valderbara,  Vernaza e Nosiola,  repousa nove meses nas leveduras,  nos presenteando um espumante cremoso, fresco, simples  da aperitivo,  ou da harmonizar com pratos de peixe sem muito tempero.
Já o  Monfort Trento Doc Brut Método Clássico produto com uva Chardonnay  ti dá uma complexidade de perfumes e intensidade no nariz notável,  se sente muito casca de pão torrado,  maçã,  frutas brancas.  Na boca é seco,  persistente e armonico. Vinho para festejar e harmonizar com pratos de peixes saborosos.
O Monfort Rosè Trento Doc Brut se sente no nariz notas de amora e maçã vermelha,  intenso e complexo,  se pode beber como aperitivo ou com pratos da cozinha tradicional italiana e internacional.
E por último o Monfort Riserva Brut Trento Doc,  último espumante Método Clássico feito pela vinícola,  um milessimato 2009 feito com chardonnay e Pinot Noir que repousa 54 meses nas leveduras.  Espumante de grande complessidade,  flagrante,  cor amarelo dourado,  na boca macio persistente.  Indico um vinho desse tipo para brindar ocasiões especiais ou almoço ou jantar importante.
Já outra alegria para mim foram os vinhos brancos,  começando com Chardonnay de cor amarelo palha,  perfume elegante,  frutado que lembra frutas tropicais. Cai muito bem com frutos do mar.
O Gewürztraminer como sempre presenteia uma riqueza de aromas que só ele pode dar, recordando rosas amarelas e pera,  retrogosto persistente e de grande corpo.
E para finalizar a sequência de brancos que me deixaram com água na boca vou descrever o sotsàs,  uma cuvée de Pinot bianco,  Chardonnay e sauvignon Blanc,  cada um de terroirs diferentes onde a idade média das plantas é  em torno dos 15 anos. Vinho envelhecido em barris de carvalho e em botte ( barris maiores que barris normais) de uma incrível riqueza aromática,  complexo e elegante vinho que entra cremoso na boca e acaba com sapidez e verticais,  harmonioso que permanece muito tempo no retrogosto. Um vinho branco de guarda sem dúvida. Para harmonizar com pratos a base de crustáceo ou peixes de água doce, e claro queijos frescos.
Finalizando com os meus preferidos,  os vinhos tintos! 
Iniciei com o Lagrein,  de uma cor tinto intenso com reflexos arrrocheados,  no nariz bem frutado,  intenso que recorda frutas silvestres. Sapido e  com Taninos macios, de persistência longa na boca.  Harmoniza bem com carnes vermelhas.
Já o opríncipe dos vinhos de Trento o Teroldego Rotaliano Doc que passa por envelhecimento em barris de carvalho de cor rubi intensa com reflexos roxos. Perfumes que lembram amora e mirtilo, acompanha bem arrosto de carne e churrasco.
E para finalizar o Vigna Cantanghel Pinot Nero,  feito com uvas de Pinot Noir de videiras de 25 anos e que envelhece por 12 meses em barris de lenha francesa. Um tinto de cor rubi e brilhante,  de aroma intenso,  recordando framboesa,  notas de couro e frutas maduras. Vinho de grande elegância que harmoniza muito bem com carne selvagem,  lebre,  e queijos envelhecidos .
E é isso aí galera,  essa é uma vinícola que faz ótimos vinhos,  quem viajar para Itália e tiver a oportunidade de ir na zona de Trento essa cantina é pra entrar no seu roteiro.  Até mais meus amigos.

Abaixo coloco o link da Vinicola para quem quiser conhecer melhor seus produtos!
A frente da vinicola hoje està Lorenzo Simoni, seus filhos Chiara e Federico. 

                                                 http://www.cantinemonfort.it/monfort/











Nenhum comentário:

Postar um comentário