terça-feira, 30 de agosto de 2016

A Itália do Vinho : parte 2, Piemonte!





Olá queridos amigos wine lovers,  dando continuidade a série de artigos sobre a Itália que começei semana passada,  hoje vamos falar da região mais célebre internacionalmente pelos vinhos inconfundíveis,  a região do Piemonte. Essa região cheia de colinas e paisagens lindas que se alternam entre colinas e montanhas é como a Borgogna Italiana,  vinhos de grande estrutura,  elegância e que melhoram com os anos,  assim é o Barolo que nasceu na metade do século XVIII,  e seu irmão menor Barbaresco,  ambos filhos da uva Nebbiolo,  uva que representa ao máximo o território Piemontese.  Mas não só de vinhos tintos é feita essa região, a cidade de Asti onde nasceu os primeiros Espumantes de Moscatel ganharam vida aqui. Região também conhecida pela sua culinária tão Rica que harmonização aqui não é difícil! 
Bem,  essa região tem 17 D. O. C. G e 42 D. O. C,  ou seja a região com maior quantidade de vinhos com essas denominações,  isso para manter a qualidade dos vinhos,  praticamente não existe IGT ( Indicação Geográfica Típica). 
Bem, a região do Piemonte é dividida em 8 grandes áreas vitivinícolas,  que vou elencar abaixo :
A primeira a norte de Novara e Vercelli,  onde encontramos as DOCG Gattinara e  Ghemme, as uvas principais dessa região são a Nebbiolo, aqui conhecida com Spanna,  a Barbera e a Croatina e o uva branca Erbaluce. 
Partindo para a segunda região que faz fronteira com a Vale D'Aosta encontramos a DOC Canavese e Carema,  as uvas são sempre nebbiolo e Erbaluce. 
Na terceira região perto de Torino se encontra a DOC collina Torinese,  as principais uvas são as Freisa,  barbera,  bonarda e dolcetto.  Aqui existe também a Docg Erbaluce di Caluso. 
A quarta região,  a Monferrato que  é entre os municípios de Asti,  casale Monferrato,  Ovada e Gavi é a que mais tem Docg,  entre elas a Barbera di Monferrato superiore,  Dolcetto d'Aqui, Ovada,  Gavi etc. Uvas mais cultivadas são ; Moscato Bianco,  Cortese, Grignolino e Malvasie a bacca nera.
Quinta zona é o L'Astigiano, importante zona onde se fazem Espumantes com o Moscato Bianco, que compreende também a DOC Loazzolo,  famosa pelo Moscato passito. 


Sexta zona,  Tortonese,  que sendo conhecida pelas uvas Cortese e Barbera é mãe do vinho branco autóctono Timorraso. 
As duas últimas regiões vem dívidas pelo rio Tanaro, a esquerda encontramos a Docg Roero e as uvas Nebbiolo,  Barbera e Arneis, e a direita do Rio la Langa,  mãe das Docg Barolo,  Barbaresco,  vinhos feitos com a uva Nebbiolo,  onde se esprime o seu  melhor nesse lugar lindo. 
Bem gente essa matéria foi para da uma idéia de como é dividida a região do Piemonte e alguns dos seus vinhos mais importantes,  se fosse escrever mais detalhes sairia um livro falando dessa região. Espero que tenham gostado e até mais.

domingo, 7 de agosto de 2016

Fattoria Moretto! Lambrusco de respeito.





Bom dia wine lovers como vão seus vinhos? Haha deixando de lado a brincadeira, hoje vamos voltar a minha terra de adoção a Emília Romagna,  região de cozinha renomada,  comida maravilhosa e é claro casa do tão conhecido Lambrusco,  vinho tinto frisante. 
Nosso passeio será na província de Modena,  na cidade de Castelvetro,  conhecida pelo Lambrusco DOC grasparossa di Castelvetro. As vezes os Lambruscos são considerados vinhos de baixa qualidade por serem econômicos e no passado não terem grande personalidade,  antes se apostava na quantidade,  não na qualidade das uvas. 
Mas isso é passado,  nos últimos anos deu um grande salto de qualidade,  pois muitos produtores jovens entenderam o terroir e as exigências de mercado mais exigente com a qualidade. 
Foi nesse contexto que nasceu na década de setenta a vinícola Fattoria Moretto,  na cidade de Castelvetro Di Modena. A família Altariva na passado fazia vinho para a família e amigos próximos,  mas a paixão pelo mesmo levou Domenico Altariva a querer ir além e produzir Lambrusco para vender no comércio,  e com dedicação e procurando pela excelência foi se destacando no mercado.




Hoje a vinícola é conduzida por Fabio Altariva  responsável de vendas e marketing, e Fausto Altariva,  acompanha a uva da videira ao último estágio, ou seja quando se transforma em vinho, irmãos que juntos seguem a filosofia do pai, e decidiram de seguir o caminho do vinho biológico,  tudo natural,  sem intervenção química nas videiras,  sem correção em cantina,  procurando sempre a identidade do território e genuidade do Lambrusco grasparossa. Todos os vinhos são método Charmat. Na minha visita à Vinícola foi o fabio que me recebeu e foi muito gentil em me falar a história da vinícola,  e depois degustei os Lambruscos que falarei logo abaixo sobre cada garrafa degustada. 
Antes de começar com os tintos degustei o único vinho branco da vinícola que é um Pignoletto frisante, muito delicado no nariz,  com setores de maçã e pera. Boa acidez e com um ótimo frescor. Aconselho com pratos de peixe bem delicados. 
Em fim fomos para o forte da vinícola, os Lambruscos. O Rosé di grasparossa no nariz apresenta setores de frutas vermelhas como cereja,  elegante,  equilíbrado da aperitivo. 
O Lambrusco Tasso é o de videiras mais jovens, de 15 anos,  frutado,  frutas como cereja e amora, ótima acidez,  macio na boca,  sapido. Um bom vinho. 

Bem já os dois crus Monovitigno e Canova veem das mesmas videiras de 40 anos,  mudando só a composição do terreno,  o Monovitigno é de uma terra predominante argilosa em vez o Canova sabiosa limoso. Dois vinhos de grande estrutura,  persistentes e complexos,  ótimos com a cozinhar típica emiliana. 
E o último filho da casa,  o semprebon com uma quantidade de açúcar maior do que os outros,  é amabile e menos seco,  pra quem não está acostumado com o Lambrusco seco é uma ótima escolha. Lembrando que o Fattoria Moretto recebeu vários reconhecimentos internacionais como da aclamada Wine Spectator,  entre os melhores Lambruscos segundo  Decanter ficou com dois lugares 1° e 2 ° lugar,  recebeu elogios da imprensa Alemã especializada em vinhos,  sem falar que está nas melhores Guide italianas de enogastronomia como Slowfood e Gambero rosso,  reconhecimento pelos esforços da família Altariva por nos dar um vinho de altíssima qualidade. 
Bem terminou por aqui mais uma aventura em uma vinícola de grande qualidade,  agradeço a Fabio Altariva pela gentileza de ter aberto a porta de sua vinícola ao cacadoresdevinho.blogspot.it. 
Abaixo o link da vinícola para quem quiser conhecer melhor a vinícola é se enteresar em comprar seus vinhos,  um abraço amigos e até nossa próxima aventura.

http://www.fattoriamoretto.it/it/home/









terça-feira, 2 de agosto de 2016

Em 2017 o salão internacional do agroalimentar se expande!




Ela expande a Exposição Internacional de Qualidade do Agroalimentar na feira Vinitaly, com a inauguração de um novo conceito dedicado à biodiversidade das produções locais, apresentando 09-12 abril de 2017.
O objetivo é melhorar o negócio sobre comida típica italiana, explicando aos compradores estrangeiros a singularidade "local" de produtos italianos. "Biodiversidade e Territórios - explica Gianni de Bruno Wine & Gerente de Alimentos da Veronafiere -" foi criado para melhorar a peculiaridade da tradição  da comida italiana única no mundo cada vez mais apreciada pelos mercados internacionais e aumentar o Business da feira.
"Biodiversidade e Territórios", será uma área dedicada à degustação de vinhos, a guiada em torno de degustação, workshops em Inglês para os compradores estrangeiros e show cooking; um caminho que acompanha os operadores especializados estrangeiros através das áreas temáticas Sol & Agrifood : Experiência queijo, para o queijo DOP, a área de óleos extra-virgem de oliva, uma área das cervejas artesanais, degustação do café e a mais recente adição do  Salami e Biodiversidade, que é tão popular na última edição da exposição em Verona.
Fonte : http://www.solagrifood.com/